quinta-feira, 26 de abril de 2012

Sessão de Formação sobre Morcegos


Foi com grande entusiasmo, que todos os alunos do 2º ciclo, participaram nas sessões de formação sobre Morcegos, dinamizadas pelo professor José Artur Pinto, que tiveram lugar na biblioteca escolar de Santa Catarina, no passado dia 24 de Abril. A atividade promovida pelo departamento de Matemática e Ciências Experimentais, insere-se no programa Eco-Escolas, no âmbito das comemorações do Ano do Morcego.






segunda-feira, 16 de abril de 2012

Comemoração do Dia do Pai


As professoras de Hortofloricultura, Ana Clemente e Helena Maia convidaram os pais a vir festejar com os seus filhos oDia do Pai pois, um homem para se sentir completo deve, segundo um ditado popular: “Ter um filho, plantar uma árvore e escrever um livro.
A atividade decorreu no horário da aula de HORTO – 13:40/ 15:15, do dia 19 de Março, e apesar de só ter comparecido o pai da aluna Catarina Marques, que se fez acompanhar pelo seu filho, viveram-se momentos muito agradáveis.
Foi feita uma visita guiada ao jardim e horta pedagógicas. Seguiu-se a plantação de uma aveleira e de um marmeleiro, na qual todos participaram numa mistura de curiosidade e de satisfação. Para finalizar, um lanche de confraternização.
As fotos que se seguem evidenciam a atividade.



segunda-feira, 9 de abril de 2012

LABORATÓRIO ABERTO DE CIÊNCIAS E MATEMÀTICA

 
No dia 23 de Março de 2012, realizaram-se atividades práticas e de divulgação científica, relativas às áreas curriculares de Matemática, Ciências Físico-Químicas e Ciências Naturais, envolvendo diretamente os professores do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais. Estas atividades envolveram os alunos do Agrupamento de Escolas de Santa Catarina, desde o quarto ano do primeiro ciclo, segundo e terceiros ciclos, assim como os respetivos professores titulares de turma e professores acompanhantes das turmas.
Nas diferentes salas em que decorreram as atividades, salas 8 e 16 (Laboratórios de Matemática), sala 24 (Laboratório de Ciências Naturais) e sala 25 (Laboratório de Ciências Físico-Químicas) estiveram disponíveis para os diferentes grupos de alunos atividades práticas diversas.
         Alguns alunos da sala de multideficiência, acompanhados pela Professora Teresa Miguel, como o João Rocha do 9º B e a Catarina Marques do 5º A puderam também vivenciar algumas das atividades, como a realização da impressão digital com cristais de iodo e a tentativa de adivinhar o sabor ácido, amargo, doce ou salgado dos alimentos.
Assim, nos laboratórios de Matemática, os alunos tiveram oportunidade de realizar jogos geométricos como o Tangran e o Pentaminós, jogos de estratégia/raciocínio, nomeadamente o Solitário, Quatro em Linha, Semáforo, Konane, Ouri, Abalone, Hex, Rastros e Quarto, jogos de cálculo mental como o SuperTmatik e também jogos de engenho. A realização dos jogos favoreceu o trabalho cooperativo e contribuiu para o desenvolvimento de capacidades matemáticas, pessoais e sociais. Os alunos tiveram possibilidade de aliar o raciocínio, estratégia e reflexão com desafio e competição de uma forma lúdica e muito rica. Todos eles tiveram oportunidade de experimentar jogos menos “populares”, mas nem por isso menos interessantes e o balanço foi positivo, uma vez que o empenho e a participação foram bastante satisfatórios. De salientar apenas que os alunos do 9ºC se disponibilizaram para ajuda na limpeza e arrumação do espaço, uma vez que foram a última turma a usufruir do mesmo.
No laboratório de Ciências Físico-Químicas foram desenvolvidas, com a ajuda dos alunos da turma  7ºC, as atividades: eletrólise da água, destilação do vinho, lata colapsante, densidade de líquidos, calha sem atrito, eletroíman, bola flutuante, células fotovoltaicas, condutividade elétrica de materiais  e ótica do olho humano. Estas atividades proporcionaram aos alunos visitantes, e aos colaborantes, momentos de diversão, pesquisa, interpretação e reconhecimento do caráter lúdico e divertido das ciências experimentais.
No laboratório de Ciências Naturais os alunos tiveram a oportunidade de manusear o modelo anatómico humano e o modelo de um vulcão. Nesta sala estiveram expostos trabalhos elaborados pelos alunos do 8º C.


A realização das impressões digitais, contou com o auxílio das alunas da turma 7º B, Alexandra Constantino, nº 2 e Ana Rita, nº 5. Da mesma turma, também colaborou a aluna Ana Luísa, nº 4, na atividade de identificação dos diferentes tipos de sabores dos alimentos.
           As alunas Inês Gomes, n.º 15 e Marta Lopes, n.º 21 do 7º B, estiveram nas atividades de microscopia, auxiliando os alunos na realização de preparações temporárias da epiderme da cebola, observação da letra F ao microscópio ótico composto e respetivas focagens das preparações. Também auxiliaram e transmitiram informações sobre o material de observação à lupa: como líquenes, soros e respetivos esporângios e esporos de fetos. Também foram observados à lupa grãos de areia.
A experiência “Como introduzir um ovo (cozido) num balão de vidro?” também teve muito êxito, por ter suscitado muito interesse o facto de como um ovo cozido, que apresenta dimensões superiores à abertura do balão, poder entrar no balão sem que se desfaça. Os fósforos acesos ao serem deitados para o balão aquecem o ar que se encontrava no interior deste. Como já sabemos, um gás quando é aquecido passa a ocupar um volume maior do que o inicial. Quando o gás arrefece contrai-se, passando a ocupar um volume inferior. A partir do momento em que colocamos o ovo no gargalo do balão passamos a ter um sistema fechado. Ou seja, quando o gás inicia a sua contração (arrefecimento), a pressão no interior do balão baixa para níveis inferiores. Nesse instante, o ovo vai ser sugado para o interior do balão para diminuir a diferença entre a pressão no exterior do balão e no interior deste. Ou seja, o ovo vai ser obrigado a ocupar o espaço deixado pelo gás que se contrai à medida que a temperatura baixa.



A aluna Cristiana Fialho, n.º 8 e mais esporadicamente o aluno Filipe Rodrigues, nº 11 da mesma turma, mostraram também alguma disponibilidade para fazer um acompanhamento de outros alunos, especialmente os mais novos, como os do primeiro e segundo ciclos.
No final, as alunas acima citadas, prontificaram-se também para ajudar na arrumação e limpeza da sala. O contributo destes alunos foi fundamental para que as atividades decorressem com normalidade.
Os professores envolvidos julgam poder afirmar que a generalidade dos alunos apreciaram as atividades.



domingo, 1 de abril de 2012

Comemorar a SEMANA DA LEITURA


Pelo sexto ano consecutivo, o Plano Nacional de Leitura veio propor às escolas e aos agrupamentos que comemorassem a Semana da Leitura. O Agrupamento de Escolas de Santa Catarina aderiu mais uma vez à iniciativa e celebrou o livro e a leitura, entre os dias 1 e 21 de Março. Os dias, foram marcados pela presença dos livros e de atividades diversificadas que serão certamente guardadas na memória de todos os que nelas participaram ou assistiram. Assim, recebemos a visita do jovem autor, Pedro Querido, que apresentou o seu livro de poesia “A Pia Transbordou” e cativou os alunos com a sua sensibilidade e criatividade. Também Raquel Maia Campos, jovem autora caldense, revelou o seu talento para a escrita com a apresentação do seu livro “O Ceptro de Nefertari”.
Tivemos também a leitura/divulgação da coletânia “Reciclomania”, para o pré-escolar e 1º ciclo, a segunda fase das Olimpíadas da Leitura, o concurso Cherub, patrocinado pela Porto Editora, para os alunos do 3.º ciclo, o concurso “Faça Lá um Poema”, para os alunos do 2º e 3º ciclos, no âmbito do Plano Nacional de Leitura, as sessões de divulgação/sensibilização, junto dos alunos do 2º ciclo, pela professora Teresa Miguel, de Educação Especial, de literatura adaptada para alunos com deficiência e multideficiência, e a apresentação da peça de teatro “Silêncio… Vamos Rir!” (Quadros de Revista), pelos alunos do clube de teatro, para todos os alunos do 2º ciclo e idosos do Centro de Dia do Centro Social e Paroquial de Santa Catarina.
E … os pais, avós, irmãos… vieram, mais uma vez, contar e cantar histórias às salas de aula dos seus familiares, … e houve lugar, mais uma vez,  para o já tradicional “Tempo de Ler”, quarenta e cinco minutos de leitura recreativa, no dia 20 de Março, de manhã – em que todos os elementos da comunidade educativa do agrupamento foram convidados a suspender as suas atividades para, pura e simplesmente, lerem.
Para encerrar a(s) Semana(s) da Leitura, a biblioteca escolar de Santa Catarina, comemorou o Dia Mundial da Poesia com a final/escola da Batalha de Leitura|Poesia e  a leitura e exposição em Literatura de Cordel, de poemas feitos pelos alunos. Os alunos do 9º A, de TED, fizeram também a leitura dramatizada do poema “Trem de Ferro” de Manuel Bandeira. O Dia Mundial da Árvore e da Floresta foi igualmente lembrado, com a leitura da história “A Árvore Generosa” e apresentação da adaptação feita pelos alunos surdos, da mesma obra, em Língua Gestual.
A todos os que colaboraram, abdicando do seu tempo livre em prol dos livros e da leitura, o nosso muito obrigado!