sexta-feira, 23 de março de 2012

Visita de estudo a Lisboa


“Eram nove horas quando entrámos no autocarro e partimos. A viagem para lá foi muito divertida. Rimos muito, cantámos muito e divertimo-nos muito também!
Chegámos lá por volta das dez, quase onze. Comemos o lanche da manhã e, a seguir, fomos fazer Geocaching. É uma coisa onde se encontra uma caixinha com coisas que as pessoas lá deixam. (…)
João Ferreira
4º ano/Turma E

“ (…) Depois fomos ao Pavilhão do Conhecimento. Andámos numa bicicleta “voadora”, fizemos experiências e andámos num carro com rodas quadradas.
Almoçámos lá no Parque das Nações. Andámos a brincar no caminho das rochas. De tarde, fomos ao Teatro Infantil de Lisboa ver “O Mundo Mágico de Jack”. Na primeira parte, o Jack, os vizinhos, a mãe e a branquinha viviam em paz e sossego. Um ogre tirou tudo a eles. Mas na segunda parte, o Jack descobriu o ogre, transformou-o em estátua e voltou tudo ao normal.”
Tomás Matos
3º ano/Turma D

“Fizemos um piquenique no Jardim.” – Isabela (Grupo A/Pré-Escolar)
“Eu escondi os olhos para não ver os maus.” – João (Grupo A/Pré-Escolar)
“Quero ir outra vez.” – Ricardo (Grupo A/Pré-Escolar)
“Gostei mais do teatro, da parte em que o filho e a mãe deram um abraço…” – Simão Luís (Grupo B/Pré-Escolar)
“Gostei do teatro… a vaquinha não dava leite por causa do mau.” – Lourenço Lopes (Grupo B/Pré-Escolar)
“Gostei do Jack, quando ele subiu ao feijoeiro mágico…” – Mariana Filipa (Grupo B/Pré-Escolar)








segunda-feira, 12 de março de 2012

Semana da Leitura... encontro com Raquel Maia Campos


No dia 9 de Março, Raquel Maia Campos, uma jovem autora caldense, esteve na biblioteca escolar de Santa Catarina, para apresentar o seu livro “O Ceptro de Nefertari”, aos alunos do 7º ano. O livro conta a história de Munna, uma rapariga de origem portuguesa que toma a decisão de estudar no Egito, mas descobre que afinal a escola não é exatamente aquilo que ela tinha na ideia. Daí nasce uma grande aventura com muita magia, vidas passadas e um encontro entre duas pessoas separadas há mais de 3000 anos. A autora revelou aos alunos que começou a escrever por volta dos 10/11 anos e que desde muito pequena, tem um especial fascínio pela história do Egito antigo. A ideia de escrever este livro surgiu a partir de uma viagem que fez ao Egito quando tinha 18 anos. A experiência vivida, misturada com vidas passadas, magia, romance e aventura, resultou nesta sua primeira obra que pretende ser uma trilogia.





terça-feira, 6 de março de 2012

Semana da Leitura - encontro com Pedro Querido


No dia 1 de Março, para assinalar a abertura da Semana da Leitura, a biblioteca escolar de Santa Catarina, marcou encontro com Pedro Querido, um jovem autor, ex-aluno desta escola, para apresentação aos alunos do 9º ano, do seu livro de poesia “A Pia transbordou”. Pedro Querido, falou abertamente sobre o seu percurso estudantil, contou aos alunos que desde muito cedo se interessou pela escrita e que a sua curta passagem e vivências na cidade de Lisboa, o inspiraram positivamente na criação de alguns dos poemas do seu livro.
A sua poesia revela uma enorme criatividade e sensibilidade. Através dos poemas, o autor exprime aquilo que sente e que faz parte da sua vida. Ao mesmo tempo, como é descrito no prefácio, por Luís Raposo mostra-nos “(…) situações de um certo “folclore nacional”, que tantas vezes vai sendo esquecido, e que o autor mistura com uma visão gradualmente urbanizada, que foi adquirindo à medida que se fixou na cidade”.
O autor é também um apaixonado pelas artes, principalmente pela música, expressa também nos seus poemas como “Toca Guitarra Toca” e conta já com alguns dos seus poemas cantados com músicas que ele próprio compõe.
No final, os alunos presentes foram convidados a ler alguns poemas do seu livro e foi ao som da guitarra que o Pedro cantou um dos seus poemas, para desta forma encerrar as sessões.



CARNAVAL em Alvorninha


Este ano, como todos sabem, o Carnaval foi comemorado sob a temática do “Ano Internacional do Morcego”. Foram várias as atividades que, ao longo de algumas semanas, se realizaram na EB de Alvorninha: pesquisas sobre o tema, decoração dos espaços escolares, construção das máscaras, etc.
No dia 17 de fevereiro, de manhã, as turmas foram à biblioteca assistir à apresentação da história “Stellaluna”,de JanellCannon, um filhote de morcego que, por ter sido separado da sua mãe,vai viver com os pássaros e aprende uma grande lição de amizade.
À tarde, todos se engalanaram para o desfile, que contou também com a participação dos idosos do Centro de Dia! Claro está que os morcegos não puderam faltar e, com eles, vieram corujas, joaninhas, abelhas, mosquitos, frutos… e até os príncipes da floresta e as princesas flor não faltaram à festa!
Ao som de música bem alegre, houve baile… e todos dançaram exibindo as suas máscaras!
Realizou-se o concurso de máscaras dos adultos, tendo como júri os delegados de turma.Os morcegos e a bruxaforam os vencedores!
Que grande animação!










segunda-feira, 5 de março de 2012

CARNAVAL na Escola Básica de Santa Catarina


Como é já tradição no nosso agrupamento, comemorou-se o Carnaval. Este ano a temática incidiu sobre o “Ano Internacional do Morcego”. O tema levou os alunos a fazerem pesquisas e a construírem os seus disfarces com a ajuda dos professores de Expressão Artística e de Formação Cívica. O desfile teve lugar no dia 17 de Fevereiro, no pavilhão da escola básica de Santa Catarina e foi apreciado por um júri constituído por um aluno de cada ciclo, desde o primeiro ao terceiro ciclo, pela subdirectora do agrupamento, pela chefe dos serviços de administração escolar e pela coordenadora das bibliotecas escolares do agrupamento, que elegeu uma turma vencedora por ciclo de ensino. Foi uma tarefa difícil devido à criatividade demonstrada, mas saíram vencedoras as turmas do pré-escolar da EB de Santa Catarina, do 4.ºD, do 5.ºC, do 8.º C e do 9.ºA.
Este ano para abrilhantar a festa, a escola recebeu como convidada a cantora Rebeca, que se disponibilizou para o efeito e de uma forma muito simpática e agradável proporcionou uns momentos únicos aos nossos alunos, professores, funcionários e encarregados de educação que dançaram ao ritmo da sua música. Foi um dia muito divertido, um bom momento de partilha, imprescindível para se estreitarem laços de amizade e de convívio saudável entre todos. Deixamos aqui os nossos agradecimentos sinceros à Rebeca pela sua simpatia e votos de muito sucesso na sua carreira.







Comemorar o DIA DE S. VALENTIM


Para comemorar o Dia de S. Valentim, a Biblioteca Escolar, associou-se ao Projeto de Promoção e Educação para a Saúde e articulou as suas atividades com o Centro Social e Paroquial de Santa Catarina, no âmbito do projeto de estágio do curso de Animação Cultural e Educação Comunitária da nossa funcionária Ofélia Costa. A iniciativa contou, igualmente, com a colaboração dos educadores, professores do 1º ciclo, professores de Língua Portuguesa,  de Educação Musical e diretores de turma.
As atividades sugeridas, que tiveram como objetivo refletir sobre o amor e a importância dos afetos, envolveram os alunos do agrupamento, pais/encarregados de educação, professores, funcionários e os idosos do Centro de Dia do Centro Social e Paroquial de Santa Catarina, entre os dias 6 e 17 de fevereiro. Assim, e dando asas à imaginação, os alunos, com a ajuda dos professores, criaram frases sobre o amor que foram posteriormente utilizadas na confeção de um lenço dos namorados gigante. Para esse efeito, foi dinamizado, na biblioteca escolar, um workshop no qual participaram professores, funcionários e os idosos que ensinaram os alunos a bordar. Os educadores, professores do 1º ciclo e encarregados de educação do agrupamento, foram também convidados a pesquisar sobre a origem dos lenços dos namorados e a recriarem com os seus alunos/educandos um lenço em papel, que culminou numa exposição no dia 14 de Fevereiro. Os lenços considerados mais originais e criativos foram, o da Laura Marques do pré escolar da escola básica de Santa Catarina e o da Joana Granil do 3º ano da escola básica de Carvalhal Benfeito. Decorreu também um concurso de postais, aberto para todos os alunos, que puderam desta forma partilhar poemas e declarações de amor e amizade e do qual saíram vencedores os alunos Lara Coito, do 3º C, Catarina Simões do 5º A e Micael Faustino do 7º A. A comunidade educativa pode ainda visionar um P. Point sobre a história dos Lenços dos Namorados e assistir à atuação da turma do 5º A, que com o apoio da professora de música, cantaram a canção “Cinderela” de Carlos Paião acompanhada de Língua Gestual Portuguesa. Os alunos do pré escolar e do 1º ciclo vieram à biblioteca ouvir a história de Pedro Seromenho, “Felismina Cartolina e João Papelão - uma paixão de papel e cartão”. Para lembrar o Dia, foram oferecidos chocolates, no bar da escola, com o patrocínio da Bombondrice e confecionados, pelos alunos da Educação Especial, biscoitos em forma de coração, para acompanhar o chá do amor com os quais presenteamos os idosos que nos visitaram.








O que é o Boccia?


 O Boccia é um desporto, misto, onde não existe divisão por sexos, que pode ser jogado individualmente, por pares ou por equipas de três jogadores. É um desporto, praticado em cadeira de rodas, por atletas portadores de paralisia cerebral e outras deficiências motoras.
Este desporto requer dos jogadores muita concentração, coordenação, controlo muscular, precisão, trabalho de equipa, cooperação e estratégia. O Boccia é jogado em pavilhão, num campo que tem 12,5 metros de comprimento por 6 de largura.


 

 O jogo é composto por dois conjuntos de 6 bolas cada, um de cor vermelha e outro de cor azul e 1 bola branca (bola alvo).




Cada jogador ou equipa dispõe de 6 bolas vermelhas para uma equipa e 6 azuis para a equipa contrária. Existe ainda uma bola branca (bola alvo) e que é atirada, à vez, por cada uma das equipas, seguindo-se as bolas de cor.
O objetivo é lançar as bolas de cor o mais próximo possível da bola branca.
Cada jogo possui quatro “parciais” nos jogos de singulares ou pares e seis “parciais” nos jogos de equipas.
Os pontos contam-se no final de cada “parcial”, sendo atribuído um ponto por cada bola, da mesma cor, que esteja mais próxima da bola branca, até se encontrar a 1ª bola de cor diferente (da equipa adversária).
As bolas podem ser arremessadas com mão, o pé, ou para atletas que tenham uma deficiência que lhes afete os 4 membros, utilizando dispositivos de compensação, calhas e ponteiros para o ato de lançamento.




Um pouquinho de História


Os primeiros sinais de existência deste jogo remontam a alguns séculos antes de Cristo, a um túmulo de um jovem faraó egípcio onde foram descobertas 2 bolas de pedra um pouco maiores que as bolas de ténis, próximas de uma bola mais pequena que deveria ser usada como bola alvo. A este primeiro testamento histórico juntar-se-á mais tarde o contributo dos gregos e dos romanos ao jogarem este jogo, agora com bolas em pele. O Boccia chegou mesmo a fazer parte dos jogos olímpicos dos gregos, como forma de divertimento, identificando-se como um jogo de "atirar bola ao ar".
Assim durante séculos as pessoas juntaram-se nas ruas, nos parques, jardins para jogar Boccia sobre vários nomes: bochs, boulle, petanca, bowling e outros.
O Boccia foi introduzido em Portugal em 1983 aquando da realização do 1º curso de Desporto para Deficientes com Paralisia Cerebral. No ano seguinte integrou o calendário competitivo do Campeonato Nacional para a paralisia Cerebral como modalidade de demonstração.
Hoje em dia, em Portugal, o Boccia é uma das modalidades com maior número de praticantes no que diz respeito à população com Paralisia Cerebral tendo vindo a aumentar um pouco por todo o mundo.
Atualmente realiza-se a nível nacional, o Campeonato Nacional por zonas, a Fase Final e o Campeonato de Portugal. A nível internacional temos os Campeonatos da Europa e do Mundo, a Taça do Mundo e os Jogos Paralímpicos.
Nos últimos 25 anos, os atletas portugueses de Boccia arrecadaram um total de 99 medalhas nas diversas competições internacionais. É, de longe, a modalidade desportiva mais laureada do desporto português.
Por último, informa referir que é uma modalidade do Programa Paralímpico desde os Jogos de Nova Iorque, em 1984.

Gustavo Cunha

Concentração de Boccia do CAE Oeste na EB de Santa Catarina


Disputou-se no dia 7 de Fevereiro, na nossa escola, no âmbito do Desporto Escolar, a 2ª Concentração de Boccia, do CAE Oeste.

Num ambiente festivo, os 38 alunos provenientes das escolas Fernão do Pó – Bombarral, D. Pedro I e Frei Estêvão Martins – Alcobaça, Escola Básica de Peniche e Escola Básica de Santa Catarina, disputaram diversos jogos inerentes ao quadro competitivo do encontro.

Os alunos da área de desporto adaptado da nossa escola que participaram neste encontro foram a Alexandra Antunes, o Tiago Penichet, a Catarina Marques, o Marco Falacha, o João Rocha e a Beatriz Correia. Todos os alunos estiveram muito empenhados nos jogos e tiveram uma boa prestação.

Os Encarregados de Educação dos alunos foram convidados a assistir ao encontro desportivo para encorajar os seus educandos e conhecer melhor a nova modalidade que praticam. Foi muito bom constatar o impacto positivo que este convite causou nos pais. Deste modo poderam perceber que os seus filhos, apesar de limitados pela deficiência na participação plena em outras modalidades desportivas, no boccia, estão plenamente à vontade para mostrar as suas potencialidades. Ver estes jovens a praticar um desporto e vivenciar o graus de responsabilidade, concentração e empenho contribui para a sua auto estima e para estreitar as relações entre eles e seus filhos.

Queremos ainda destacar o apoio das turmas do 1º ciclo do Centro Escolar da EB de Santa Catarina que estiveram presentes na bancada do pavilhão a dar força e ânimo aos seus colegas durante todo o encontro.

Visto que estes encontros são oportunidades únicas para a socialização dos alunos com deficiência, estamos ansiosos pela próxima competição, que será a última do presente ano letivo e irá decorrer na Escola Secundária do Bombarral, no dia 18 de Abril.


Gustavo Cunha e Teresa Miguel