segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA


No dia 5 de dezembro, na escola básica de Alvorninha, foi comemorado o dia internacional da pessoa com deficiência.
A tarde começou na biblioteca da escola com a projeção e leitura da história "O elefante que não era elefante", uma obra sugerida pelo PNL. Esta situação proporcionou o diálogo sobre a importância da tolerância na aceitação da pessoa com deficiência.
Várias crianças relataram situações de pessoas que conhecem com deficiências e a implicação que isso tem nas suas vidas.
"Professora a minha tia, tem os braços assim (gesto), mas consegue escrever e tem uma letra muito bonita..."
Seguidamente, os alunos visualizaram a fotografia da Ana e perceberam que ela não tinha braços, mas que o seu sonho era pintar. Perceberam que, para isso, ela tem que pintar com a boca ou com os pés.
Observaram vários postais pintados desta forma e, posteriormente, professores e alunos foram desafiados a pintar com a boca...dando asas à sua imaginação e percebendo a dificuldade implícita nesta pinturas!





quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

CONCURSO DE COROAS DE NATAL

Este ano para lembrar a quadra natalícia e enfeitar as escolas, o grupo de Educação Artística e tecnológica tomou a iniciativa de lançar um concurso de coroas de Natal para todo a Agrupamento, tendo como objetivo a reutilização de materiais. A adesão foi total e o resultado é o que se pode ver.  

Como temos que encontrar um vencedor vimos pedir que votem na coroa que acharem mais original. Para isso, basta que no questionário abaixo, cliquem no número que corresponde à vossa coroa de eleição.

Participa!






























terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Escola inglesa visita a Unidade de Multideficiência do nosso Agrupamento







No passado mês de outubro, a escola inglesa parceira do nosso Agrupamento no Projeto Comenius enviou um professor para visitar a Unidade de Apoio Especializado para a Educação de Alunos com Multideficiência da EB de Santa Catarina.
Esta deslocação teve como objetivo conhecer in loco como se processa a inclusão de alunos com deficiência e multideficiência nas escolas de ensino regular. O professor enviado pretendia ver como os alunos com deficiências mais significativas estavam integrados numa escola de ensino regular, perceber quais os benefícios e os desafios dessa inclusão.
Esta visita revestiu-se de maior interesse se tivermos em conta que os países europeus estão a ser convidados a implementar políticas inclusivas no âmbito da educação desde o início da década de noventa, especialmente desde 1994, altura em que foi assinada a Declaração de Salamanca. A Grã-Bretanha tem adiado a aplicação das medidas inclusivas oficialmente ratificadas ou seja os alunos com deficiência, naquele país, ainda frequentam escolas de educação especial separadas das escolas de ensino regular. Agora, dezassete anos passados, tanto a Grã-Bretanha como os Países Baixos e outros países tidos como mais desenvolvidos estão ser pressionados para aplicar essa mudança extraordinária no seu sistema de ensino.
Para nós, esta visita é motivo de grande orgulho uma vez que mostra que outros querem aprender connosco e que podemos ser um exemplo a seguir em termos de educação inclusiva. É claro que nesta política educativa nem tudo corre sempre bem, e as opiniões são, por vezes, divergentes. É fácil estabelecer a inclusão educativa por decreto mas é difícil mudar mentalidades e criar condições para que essa inclusão seja plena.
A visita decorreu entre os dias 24 e 26 de Outubro. Diversos colegas da nossa escola deram o seu contributo para que o colega Alex Neville se sentisse bem-vindo e conseguisse cumprir os objetivos traçados para a sua visita. No dia 25, as professoras da Unidade cumpriram o seu plano de aulas na Unidade para que o colega observasse as áreas desenvolvidas com estes alunos e o apoio pedagógico que usufruem. Nestas aulas o professor teve oportunidade de conhecer melhor os alunos da Unidade e desenvolveu com eles algumas atividades. Depois, acompanhou-os às salas de aula e conheceu os professores e os colegas das turmas de referência. Almoçou na cantina da escola juntamente com docentes e no final do dia assistiu a uma apresentação na Unidade sobre o sistema educativo português e a implementação das estruturas de apoio à inclusão em Portugal.
Neste breve estadia, o professor Alex Neville teve ainda a oportunidade de visitar a vila de Óbidos, a praia da Foz do Arelho, a praça da fruta nas Caldas e a Loja da Fábrica de cerâmica Rafael Bordalo Pinheiro da qual levou algumas lembranças. Esta visita, à semelhança de qualquer outra do Projeto Comenius, foi muito acarinhada pelos colegas que se envolveram na preparação da mesma, no acompanhamento do colega nas atividades letivas, no acompanhamento ao almoço, no transporte para a escola e nas visitas a alguns dos locais mais emblemáticos da nossa região.
Concluída a visita podemos dizer que foi gratificante a troca de experiências entre todos e acima de tudo ver como os alunos da Unidade cativaram o colega com o qual jogaram à bola e ao dominó.  Afinal é este o objetivo dos programas europeus relacionados com a educação: o intercâmbio de experiências e a partilha de conhecimento.
Nós ficámos felizes pela visita e o Alex prometeu voltar, desta feita como turista. Como ele mesmo disse: “as vossas praias são irresistíveis!” Ficaremos à espera do seu regresso.
Teresa Miguel





quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Pequenos cientistas…


“O que faz encher os balões? Por que pulam os bonecos? De onde sopra o vento? Como funcionam os motores a jato? Os corpos pretos absorvem mais ou menos calor do que os corpos brancos? Como se faz a circulação através de corrente de calor? Como se processa a comutação da energia solar em energia luminosa?”
Foi a estas questões que os pequenos cientistas do pré-escolar e do 1º ciclo da EB de Alvorninha tentaram responder, na Semana da Cultura Científica. A partir da exploração da maleta da energia, alunos e professores discutiram procedimentos, realizaram experiências e interpretaram-nas à luz do conhecimento científico.
Mas houve mais! Motivados pelo projeto Comenius, depois dos sabonetes feitos no ano letivo passado, foi agora a vez do “perfume de alfazema” ser produzido pelos alunosdo 4º ano! Que cheirinho!





Preparação de um Encontro do Projeto Comenius…


Os alunos que frequentam a área de hortofloricultura Catarina Marques, Alexandra Antunes, Tiago Mota e João Rocha, juntamente com as professoras Ana Clemente e Helena Maia responderam ao convite de trabalho em parceria com a equipa do Projeto Comenius produzindo algumas lembranças. As fotografias ilustram a forma como todos se dedicaram ao trabalho e fizeram marcadores de livros, mini arranjos natalícios e caixas de cheiro de alfazema.
Esperamos que os parceiros húngaros apreciem os nossos mimos!...